8 de março

#diainternacionaldamulher

Espero que no dia 08 de março de 2017 eu comemore mais o fato de ser mulher. Espero que em 2017 o mundo esteja mais preparado para esse fenômeno que somos nós, do sexo feminino. Porque hoje, em pleno ano de 2016, ainda temos medo de falar, de sair na rua, de nos expor, de ser quem somos, de amar quem amamos, de querer mais, de cobrar mais, de viver como quisermos, de ser donas do nosso corpo e gostar dele do jeito que for. Ainda é difícil ser mulher. De viajar sozinhas, se quisermos. Sermos culpadas quando somos violentadas. Sermos julgadas quando escolhemos sair de vermelho ou com um vestido mais curto. Sermos repreendidas porque falamos palavrão. Sermos olhadas diferente na rua simplesmente porque temos peitos, ou não temos. Sermos chamadas de ‘magrelas’ ou ‘gordinhas’ por homens e mulheres. Sermos proibidas de escolher o que fazemos ou não com nossos corpos. Ter que reivindicar o respeito todos os dias em todos os momentos é cansativo, mas é uma luta de todas nós. Quem nunca foi desrespeitada por ser mulher? Quem nunca se sentiu menor, pior, errada, por ser mulher?

Espero poder viver em um mundo preparado para o fenômeno feminino. Preparado para aceitar as mulheres de corpo e de alma. Preparado para aceitar as mulheres masculinizadas e as femininas da mesma forma e com o mesmo respeito. Não quero sentir que o mundo “tem que engolir” a realidade de mulheres no poder e mulheres com poder pra fazer mudanças, quero sentir que o mundo nos abraça por perceber o que podemos realizar e por ser grato de caminharmos todos no sentido de um futuro melhor. Porque ainda existe tanto ódio com relação ao feminino se todos viemos de uma mulher? O futuro só é melhor se houver igualdade de gêneros, aliás, igualdade de todos os seres. Para passarmos para uma nova fase da história – aquela em que podemos começar a corrigir os erros do passado e catar os cacos do que foi quebrado ao longo de todos esses milênios de existência – precisamos TODOS entender que acima de mulher, homem, negro, branca, pardo, gay, hetero, trans, mussulmano, cristão, flamenguista, vascaína, americana, europeu, subdesenvolvido, funkeiro, maconheira, SOMOS TODOS IGUAIS. TODOS TEMOS MEDO. TODOS TEMOS SONHOS. E habitamos o mesmo planeta pra aprender a lidar com as diferenças.

Espero poder criar minha filha (se algum dia eu tiver uma filha) para ser o que ela quiser, amar quem ela quiser amar, se vestir como ela gostar, brincar de carrinhos e bonecas e viver a vida dela sem medo de mostrar isso pras outras pessoas. Espero que ela cresça sendo respeitada pelos homens na vida dela, os mais próximos, os vizinhos, os professores, os chefes, os subordinados e os governantes. Espero que a opinião dela seja ouvida e que ninguém faça pouco caso do que ela pensa, por ser mulher. Que o mundo seja melhor pra ela do que tem sido pra mim e do que foi pras mulheres que vieram antes de nós. Que ele perceba finalmente que sem a feminilidade não existiria nada do que conhecemos e gostamos e aplaudimos, e aplauda as mulheres pelas façanhas que sempre conquistaram mesmo as escuras. Que os homens percebam que o feminismo não é uma arma apontada contra eles, mas uma oportunidade de ajudar a proteger todas as mulheres que são ou já foram importantes em suas vidas. Nós não somos ameaça, nós não somos melhores ou piores, nós somos complementares e fundamentais, somos capazes e merecemos sim ter mais respeito.

Espero, sinceramente, que em 2017 eu comemore mais esse dia tão importante que é o dia da mulher.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s