Provei e aprovei: Japa B

Esse mês eu e o boy fizemos 1/2 aniversário de namoro (não é o ano cheio, mas sim de 6 meses) e como o rodízio de japonês já é um clássico dos nossos aniversários resolvemos optar por conhecer um restaurante diferente desse tipo de comida.

Obs: Algumas das imagens não são minhas, tirei do site deles! Como fomos despretensiosos, ou seja, não fomos pensando em um post, não levei a câmera e, portanto, não tirei boas fotos.. malz.

O Japa B é um restaurante no Jardim Botânico, bem no centro do bairro. Além de ser em um ponto ótimo, ele tem, ao mesmo tempo, um ar chique e um ambiente acolhedor. A primeira impressão foi ótima, porque chegamos e fomos logo super bem atendidos, tanto pelo moço que estava na porta como pelo garçom, João Paulo.

o restaurante

Eu já tinha visto algumas pessoas comentando sobre esse tal Japa B no instagram (@guladeviagem e @aliceweg) e falando bem, então resolvemos investir no rodízio de lá dessa vez. Sim, rodízio, porque japonês demais não existe. Achamos o preço justíssimo, R$79 por pessoa. Quem está acostumado a visitar rodízios no Rio de Janeiro sabe que conseguimos encontrar valores dos mais variados, desde R$69 a mais de R$100 por pessoa, mas que o valor não é indicador de qualidade.. já fui em rodízio de R$99 que era uma bela bosta e aqui na Tijuca sempre vamos no almoço do Tsuki, R$69, que achamos divino.

Além dos pedidos feitos nas folhinhas, recebemos na mesa algumas “surpresinhas” que vinham da cozinha especialmente para os clientes que pedem rodízio, são cortesias diferenciadas feitas pelo chefe da casa. Todas que provamos estavam ótimas, mas nosso preferido foi o sushi crocante, um filézinho de salmão acomodado em cima de um dadinho crocante de tapioca e finalizado com um molho muito bom (não lembro o nome, mas tinha um sabor agridoce).

IMG_3445

Todas as peças eram lindas, com carinha de frescas, bem cortadas e em tamanho ideal, nem muito grandes (e cheias de arroz) e nem muito pequenas (que você não consegue sentir o sabor). Além disso, a apresentação dos pratos, mesmo no rodízio, era impecável. Recebemos duas vezes nossos pedidos (megalomaniacos) em barcos, e quando vieram nos pratos estavam sempre bem organizados, parecia até que eram combinados.

IMG_3432
Não superei essas Karpas até agora.. AMEY

Além do super atendimento, comida de qualidade e bem apresentada, espaço super bem pensado e lindo.. o que mais eu posso dizer pra vocês? Ah, sim.. variedade. Achei a variedade do rodízio bem legal, tem opções clássicas de japonês e as invenções da casa ficam por conta das surpresinhas. Copiei o cardápio do nosso rodízio do site deles aqui:

rodizio_nao-cardapioPra beber pedimos o mate da casa, meu namorado tomou dois copos do mate dele com limão e eu um do meu mate com maracujá. Achei bom, ele amou. Pra quem gosta de bebida açucarada, vão de refri ou peçam o açúcar a parte, porque o mate não vem adoçado!

IMG_3444

A sobremesa foi um caso de amor a parte.. eu já tinha visto uma foto dela e me apaixonei platonicamente. Aí quando cheguei lá pra experimentar foi como encontrar aquela pessoa que você conheceu na internet e ela é bem melhor ao vivo, sabe? Objetivamente ela é pequena, um koni com casquinha bem fina, recheado de uma das opções que eles te dão.. escolhemos o mousse de leite ninho com chocolate. Veio essa belezura. Eu AMEI a sobremesa, o Ric gostou, mas não achou nada demais.. mas nós dois concordamos que podíamos ter comido outra dela tranquilamente, hehe.

Facetune(16)

Pra resumir, minhas impressões:

Preço: Justo. Alto, porém vale.
Comida: Ótima.
Atendimento: Ótimo.
Localização e facilidade de acesso: Ótimo.

Ou seja.. valeu super a pena! ❤

Fashion Revolution Week

Você sabe quem fez as roupas que você está usando agora?
Você sabe em que condições essa pessoa trabalhou pra você usufruir desse seu querido casaco? Ou dessa calça confortável?
Não? Que tal perguntar pras suas marcas preferidas então?

Quer entender mais sem ler esse post? Entra lá no site do Fashion Revolution!

Esse é o ideal da semana de revolução da moda ou Fashion Revolution Week, um movimento internacional que quer diminuir o consumo inconsciente! Nossas roupas nem sempre têm um histórico bom.. desde 2013 (quando o complexo fabril Rhana Plaza desabou matando centenas de trabalhadores na India) marcas internacionais vêm sendo investigadas e estigmatizadas na mídia por não se responsabilizarem pela cadeia produtiva de suas roupas e acessórios.

“não se responsabilizarem pela cadeia produtiva? o que isso significa?”

Isso significa que, de repente, aquela blusinha que você pagou 5 doletas para adquirir na Forever21, naquela sua viagem de 2013-2014, foi produzida por crianças ou por adultos que eram pagos 10 reais pelo seu dia de trabalho. Ou pior ainda, por crianças e adultos, pagos 10 reais a hora para trabalhar em condições impossíveis de trabalho (como por exemplo em salas pequenas, de alta temperatura e próximos à maquinas barulhentas de costura em massa, durante 17 horas em um dia). Sim gente, isso acontecia.. e infelizmente ainda acontece.

Estas pessoas não trabalham diretamente para as marcas, mas são subcontratadas pelos produtores contratados por elas. É exatamente aí que entra o lance da responsabilidade. Se a gente vê isso na internet.. como que a marca internacional que ganha milhões de dólares por ano não sabe? E mais, ela não deveria pelo menos tentar saber? Visitar as fábricas, checar os contratos? Fechar os olhos para conseguir o preço mais barato não é legal e não deveria ser aceito, principalmente por nós consumidores, que moldamos os hábitos de nossas marcas através de algo que presamos muito: nosso dinheiro!

Além do trabalho análogo ao escravo, temos também a questão do desperdício, da produção de lixo e da emissão de gases e toxinas poluentes no meio ambiente. Tudo isso é recorrente na produção de moda e ainda não temos um remédio eficaz para combater estes sintomas que estão matando o mundo e a nossa sociedade.

Estas são todas questões levantadas pelos responsáveis pelo movimento “Fashion Revolution” e de 24 a 30 de abril eles tentam conscientizar os consumidores e convence-los a perguntar às suas marcas: quem fez minhas roupas? quem costurou minha bolsa? Esse simples movimento mostra que as pessoas estão de fato preocupadas umas com as outras e com o futuro.

10
Foto: @fash_rev_brasil

Abaixo separei alguns posts interessantes do @fash_rev (instagram da Fashion Revolution) publicados esta semana. Os números e dados foram coletados em parceria com o Greenpeace!

04
Apenas 32% de 100 marcas divulgam sua lista de fornecedores (da primeira etapa da produção)
03
Apenas 14% de 100 marcas divulgam onde suas roupas são tingidas, impressas e finalizadas.
02
Nenhuma das 100 marcas consultadas divulga detalhes sobre os fornecedores de suas matérias primas.
05
Transparência > Responsabilidade > Mudança
06
A produção mundial de roupas mais do que duplicou desde 2000.
07
Nós compramos bem mais e usamos bem menos que nossos bisavós e avós.
08
30x o peso do empire state building é descartado em roupas nos Estados Unidos.
09
Aumentando o uso de suas roupas de 1 para 2 anos você ajuda a reduzir 24% das emissões poluentes todo ano! Todas as fotos foram retiradas do Instagram @fash_rev

Gente, participem, mandar um e-mail não custa nada, é mole mole e faz uma super diferença! Mais do que mandar o e-mail, acompanhe e verifique (se possível) a resposta que você recebeu.

Antes de comprar sua próxima roupa, se informe sobre as práticas da marca e pense no que você tem no armário! Abuse do styling pra deixar suas roupas sempre na moda e evitar o desperdício, a produção de lixo e o consumo desenfreado.

Tem interesse sobre esse assunto? Eu também! Vem falar comigo! Pode comentar aqui ou ir lá no insta (@kerolss) que a gente bate ótimos papos sobre isso 😉

Beijos e PENSEM bastante!

Mestrado – Parte 1 (O antes)

Hoje resolvi vir aqui e falar de algo que algumas pessoas já vieram me perguntar e, pensando bem, pode ser mesmo uma questão de utilidade pública: mestrado!

Obviamente eu não sou um guru do meio acadêmico e lógico que não vou me meter aqui a falar pra vocês qual mestrado fazer, que área seguir e como levar os seus estudos, eu simplesmente vou dividir com vocês a minha experiência.. tomara que isso ajude alguém de alguma forma, senão vai ser só mais uma perda de tempo mesmo.

“Carol, como você começou essa história? Da onde veio essa ideia?”

Em 2014 eu me formei na faculdade de direito (UFRJ no Rio de Janeiro). Saí da faculdade bem perdida porque nada que eu tinha feito até então tinha me dado aquele estalo de “nossa, era isso que eu queria fazer pro resto da minha vida”. Como eu estava com essa crise, antes mesmo de sair do meu último trabalho dentro do direito – um escritório de advocacia – eu comecei a estudar minhas possibilidades.

Antes mesmo de acabar a faculdade eu já sabia que o problema era que eu não curtia o direito tanto assim e, por isso, nada que eu fazia me preenchia de verdade, mas não sabia pelo que trocar e fiquei com medo de sair da faculdade e acabar sem diploma nenhum, de nada, fazendo nada da vida e levei o curso até o final. Mas nesse caminho eu descobri várias afinidades com a comunicação, com a administração, até mesmo com o empreendedorismo e comecei a procurar alternativas dentro dessas áreas.

espm

Meu primeiro reflexo foi buscar um pós que eu pudesse fazer fora do direito, em uma área como gestão de marca, comunicação, produção de eventos, etc.. aqui no Rio a minha maior referência pra essas matérias é a ESPM, então fui lá procurar algo pra fazer. No site de Pós-graduação da instituição é possível ver as opções de especializaçãoMBA e Masters e MBA Executivo (que só tem na sede do Sul). Eu estudei por muito tempo a possibilidade de fazer uma pós em gestão de empresas e marketing, que me interessava muito, mas ela custava caro e eu estava sem capital de investimento naquele momento.

Já saída do escritório, em final de 2014, eu comecei a vender em uma loja. Trabalhar na Papel Craft me ensinou demais – como vendedora e como pessoa – mas mais importante que isso: me fez ver que eu tinha vontade de ter meu próprio negócio. Mais ainda, que se eu quisesse mesmo fazer isso, ia ter que aprender muita coisa que o direito não me ensinou pra ter sucesso. Então comecei a saga em busca de cursos de empreendedorismo, mais uma vez fui ver na ESPM – eles têm um curso de empreendedorismo social que parece ser demais – mas, de novo, muito caro pro que eu tinha em mente. Comecei a fazer cursos online gratuitos no SEBRAE, que são bons pra te introduzir nos assuntos de negócios, mas são muito iniciantes. Depois comecei a focar na área de alimentação, porque eu já vendo cupcakes por um tempo, procurei cursos aqui no Brasil e fora, mas acabei mudando o foco DE NOVO.

Enfim, depois de muito pensar sobre o que eu poderia fazer com o que eu já tinha, um diploma de direito, eu filtrei minhas experiências e constatei uma coisa: eu gostava da faculdade. Calma, eu não mudei de ideia. Eu continuo até hoje sem gostar de direito, mas da faculdade, das matérias, de estudar, de ler eu gostava.. Ou seja, eu gostava da teoria, só não queria fazer aquilo na prática. Se eu gostava da teoria, logo, eu poderia continuar estudando aquilo, pesquisando, me aperfeiçoando e, quem sabe, repassar meus conhecimentos para outras pessoas. E voilá surgiu a ideia do mestrado.

“Como você escolheu aonde fazer?”

logo-uerj-930x1024

Eu gostaria de dizer pra vocês que eu pensei muito e estudei muito as minhas opções e fiz milhares de seleções, mas no final escolhi a UERJ.. só que se eu disser isso vou estar mentindo.

No início eu queria fazer o mestrado fora.. problemas com isso eram os de sempre: dinheiro, disponibilidade, família, namorado, etc. Além disso, se eu pretendia dar aula em algum momento e começar a cuidar da minha vida, eu precisava de um mestrado que valesse no Brasil e muitos cursos da Europa e dos EUA não são aceitos aqui como mestrado, pela quantidade da carga horária! (mesmo que o nome seja Master) Isso é muito importante de você checar, porque as vezes o curso parece perfeito, mas se a sua vontade for dar aula aqui, ele também tem que ser homologado no país. Pay Attention.

Só a título de curiosidade, eu pesquisei mestrados na HULT International Business School e na University of Amsterdam.

Enfim.. no meio dessa confusão, fui viajar, passei um mês na Califórnia e.. quando voltei o edital do mestrado da UERJ em direito estava aberto. Só de curiosidade eu olhei as ementas e bibliografias de cada linha de pesquisa e AMEI os temas dos textos de Propriedade Intelectual da linha de Empresa e Atividades Econômicas – foi amor a primeira vista, me inscrevi, paguei.. e agora José?

Um esclarecimento sobre a linha de Empresa e Atividades Econômicas da UERJ – ela aborda direito empresarial e direito do trabalho. Essas são duas matérias que aparentemente não se bicam, mas na realidade são dois lados da mesma moeda, porque afinal de contas, de que são feitas as grandes empresas se não de empregados, não é mesmo?  Então além dos textos que eu gostei, tinha também direito do trabalho, societário e comercial. Beleza. Direito Comercial foi uma das matérias que eu mais detestei na faculdade, só pra fazer o adendo.

“Como você se preparou para a seleção?”

Mestrado

Entre a liberação do edital e o dia da primeira prova tinham aproximadamente dois meses. Eu baixei o arquivo com os nomes dos textos da bibliografia, procurei todos no google, baixei o que eu consegui baixar, e o que eu não consegui simplesmente pesquisei em bibliotecas, livrarias e etc. Recolhi todo o material, imprimi e apostilei, depois disso foi estabelecer metas diárias de leitura pra fechar todo o edital.

Olha, nesse momento eu poderia dizer que foi mel na chupeta e que o edital era pequenino, que eram poucas páginas, que era tranquilo estudar no fim de semana vendo uma série, mas.. essa não é a vida real né, galera? Abri mão de tudo que eu tinha pra fazer. Como eu tinha saído da Papel Craft pra viajar, abdiquei de entrar em outro emprego e fiquei em casa pra estudar. Cada dia matava 100-150 páginas, de um total de quase 13 livros inteiros. A nossa bibliografia era uma das mais extensas e tinha muitos livros, como eu cheguei desavisada, li tudo que tinha pra ler, TUDO. Se tava no edital, eu li. Catei artigo de periódico de tribunal da justiça do trabalho e li – quem fez direito sabe que isso é PUNK.

“Carol, mas eu trabalho, não posso deixar de trabalhar, é possível passar?”

Olha, nada nessa vida é impossível. Mas algumas coisas são mais difíceis que outras. Das 11 vagas que foram abertas pra minha linha de pesquisa só 8 pessoas passaram e de todas elas eu era a ÚNICA que não estava trabalhando durante o processo de estudo pro mestrado. Mas vou te explicar agora o porque: as pessoas que passaram comigo são SUPER inteligentes e TODAS tinham experiência em áreas abordadas pelo mestrado. Tem 2 ou 3 advogados de societário, um pesquisador de propriedade intelectual, uma advogada do BNDES, advogado de propriedade intelectual, enfim.. gente que sabia o que estava fazendo quando se inscreveu pro mestrado. Bem diferente de mim, como vocês podem depreender da minha narrativa até aqui!

Então a minha resposta pra você que trabalha e quer fazer esse mestrado é: depende. Se você domina de alguma forma alguma das matérias você tem sim chances de passar, desde que se dedique a ler os textos (pelo menos os principais) da bibliografia. Se você for um desavisado que nem eu, provavelmente não. Porque eu juro que eu só passei porque eu li toda a bibliografia, resumi, reli, enfim.. e também porque Deus ajudou um pouco – eu sou bem sortuda.

“Mas sua seleção foi só de uma prova?”

Não! A seleção do mestrado na UERJ é composta por 3 etapas, prova de conhecimentos específicos, prova de línguas e entrevista.

Prova de conhecimentos específicos: Eu não sei dizer como são as provas das outras linhas, mas a de Empresa foi bem dentro da bibliografia, de forma que, se você não tivesse lido nenhum dos textos/livros que caíram, você poderia nem ter pontuado nada na prova (Sim, nada.. Eita mesmo).

Prova de línguas: Ao fazer a inscrição você pode optar por uma dentre 4 línguas (inglês, francês, espanhol ou alemão) para essa etapa. Eu escolhi inglês e foi o melhor que eu fiz. Era um texto em inglês falando sobre direito nos EUA e uma das manobras processuais que eles usam lá que é “plead guilty” ou seja, se admitir culpado pra amenizar de alguma forma a pena. A prova pedia em português pra você interpretar o texto. Sim, as questões estavam em português e as suas respostas também eram em português e você só tinha que entender o texto mesmo. Eu achei fácil.

Entrevista: Pra mim que não era de nenhuma das duas áreas (Empresa e Trabalho) essa foi a pior fase da seleção, fiquei muito nervosa e os professores tiveram dificuldade de entender porque eu estava aplicando pra linha de pesquisa deles – completamente compreensível essa dificuldade, já que nem eu sabia essa resposta – e ficaram um pouco na defensiva. O importante é passar e no final das contas foi o que aconteceu.

Pros posts não ficarem gigas eu decidi cortar essa história. Esse foi meu período antes de ingressar no mestrado e semana que vem eu divido com vocês como tem sido o meu durante 😉

Continuação do Carnaval


Ontem foi Domingo de Carnaval. Por razões de .. Carnaval, durr .. não postei aqui minha programação, hehe.


Mas a verdade é que quem me conhece sabe que eu nem precisava postar onde eu estaria, todos já sabem que eu não perco o bloco Bangalafumenga nenhum ano!

Ontem foi dia de Banga e foi ótimo! Um dos melhores “desfiles” do bloco que eu já vi. Não vou negar.. preferia a vibe de bloco que tinha quando o desfile era no Jardim Botânico, mas os Shows no aterro têm sido cada ano mais legais e com novas músicas no repertório.


Esse ano o que me conquistou foi a participação INCRÍVEL da Luci Alves. Estrela linda maravilhosa que tomou meu coração com sua sanfona, desde a primeira apariçãono the voice, e depois balançou o coração do Brasil na novela Velho Chico.


Cheio, como todo ano, mas ainda assim habitável, esse tem sido o traço do Banga desde uns 3 anos atrás, quando a prefeitura colocou no mesmo horário o bloco Areia no Leblon, que divide bem os foliões entre os dois grandes blocos!


Não consigo passar de forma exata o que é participar como plateia desse bloco há anos.. é sempre emocionante e cheio de energia, VALE MUITO A PENA!

E agora..

Programação do dia 3 – Segunda de Carnaval

Segunda é dia de Bloco de Segunda em Botafogo, mas tb é dia de trabalho e estudo e por isso esse será o único bloco de hoje pra mim!

Pra quem interessar printei a tela do app de Carnaval da minha irmã, que já saiu de casa pros primeiros blocos (da manhã)!


Beijinhos e bom Carnaval ❤✨

Chegou o Carnaval!

Oi gente!

Chegou aquela época do ano novamente ❤

O Carnaval chegou quente e cheio de animação aqui no Rio, hoje foi sexta de Carnaval e apesar deu não ter saído de casa, já teve muita programação pela cidade.

O pré Carnaval foi MARA, com o melhor bloco do Rio animando a chegada dessa época tão linda: Fogo & Paixão.

img_2334

Como meu Carnaval – por motivos de muito trabalho – só começa amanhã, meu primeiro dia de folia também vai ser o primeiro dia de programação aqui no Blog. Porque sim (;

Sábado de Carnaval, dia 25 de Fevereiro de 2017

Pela manhã temos dois grandes blocos acontecendo simultaneamente no nosso querido Hell de Janeiro: Bloco da Favorita e Escangalha! (Estes foram os eleitos pelos meu amigos, mas pra quem gosta de algo clássico também temos muitos outros inclusive o Bola Preta acontecendo nesse dia).

Bloco da Favorita: 10h na Praia de Copa (normalmente a concentração acontece mais próxima da altura da estação Cantagalo – mais pro final da praia – e o bloco vem andando na direção do início da praia). Esse é o tradicional bloco de Funk que acontece todo ano na praia de Copacabana. Fica muito cheio, mas a localização ajuda, as duas pistas (ida e volta) da praia ficam fechadas para o bloco, o que acaba dispersando o grande grupo de foliões.

Repertório: Funk Clássico e Moderno Carioca
Bons lugares pra comer por perto: Em Copacabana você tem uma infinidade de opções, mas as que eu particularmente gosto e que usamos no ano passado foram o Zona Sul da Rua Francisco Sá e o Vezpa, ambos com preço bom e comida boa. O Vezpa acaba sendo uma opção mais em conta pra quem tem mais fome, porque você paga pelo pedaço e a massa é bem mais grossa do que a massa de Pizza do Zona Sul.

Bloco Escangalha: 09h ou 11h (cada fonte diz uma coisa) na Gávea (ele concentra perto do BG e faz uma pequena voltinha pelo bairro, terminando na praça!). Esse bloco é bem tradicional e animado. A vantagem é que a Gávea é um bairro arborizado e é mais difícil de sofrer com o Sol escaldante o tempo todo, mas também fica consideravelmente cheio.

Repertório: Variado. Normalmente tem uma música do bloco, tocam músicas de Carnaval e algumas músicas populares do momento.
Bons lugares pra comer por perto: Na Gávea a comida não falta, são muitas opções de diversos preços, mas o problema é que provavelmente a maioria dos lugares estará lotada! Lá tem uma Vezpa também, pizzaria rápida maravilhosa, fica na Rua Marques de São Vicente logo depois do Shopping da Gávea. Pra quem quiser uma opção saudável, na Gávea nós temos o Delírio Tropical e o Balada Mix, ambos com um preço um pouco mais salgado, mas que oferecem refeições de qualidade pro almoço. Se você estiver na vibe de comer uma besteirinha, também pode se aventurar a provar os hamburgueres famosos do Meating.

A tarde é a vez de Botafogo.. Os blocos Barbas e Rebarbas acontecem um após o outro e tomam todo o Bairro a partir das 15h00!

Repertório: O repertório dos dois é bem parecido, normalmente misturando músicas clássicas de Carnaval com uma marchinha do bloco.
Lugares legais pra comer por perto: Lá em Botafogo as opções são muitas, mas dependendo da sua fome e de quantas pessoas estiverem com você algumas opções valem mais e outras menos. O Caravelas é um restaurante clássico de Botafogo que vende Picanha completa e pra quem estará com um grupo grande pode valer a pena! Temos também o Comuna, que tem um hamburguer famoso e um clima indie bem legal. E pra quem estiver em dúvida a Rua Nelson Mandela e seus entornos têm uma variedade incrível de restaurantes, desde barzinhos até lanchonetes e padarias, meus favoritos por lá são o árabe Harad e o The Boua.

E depois desses, encerro minha programação de Carnaval pelo Sábado ❤

Agenda não, Planner!

Olá!

Natal chegando, 2016 acabando e a moda que já tinha nos EUA há anos parece que chegou definitivamente no Brasil: Planners!

Basicamente, um planner é uma agenda super completa. Você tem normalmente uma visão semanal, listas, bolsinho pra guardar papeis, alguns vêm com régua, cartões de visita, enfim, vááários itens pra quem é louca(o) por papelaria, como eu sou.

Assim como as agendas, existem diversos tipos de planners. Capas então, nem se fala. Separei alguns dos fornecedores que eu pesquisei pra escolher o meu planner e tenho que dizer: foi muito difícil decidir!

O planner mais famosinho que eu conheço gringo é lá dos EUA e tem essa carinha linda: (visite o site da Ban.do porque tem muuuito mais coisa legal!)

O modelo começou a pré-venda no final do ano passado e lançou no meio desse ano! Várias já estão sold out e o frete do site pro Brasil é de U$40 (AI QUE FACADA). Aí, com esse precedente, fica muito difícil focar nas opções que a gente tem aqui. Porque eu queria esse especificamente e não rolou #expectativaerealidade, entende?

Mas temos opções variadas já disponíveis no Brasil, cada um com suas características marcantes, fiz essa seleção, mas achei muuitos mais por aí. É só procurar com carinho e paciência que na internet tem!

#1 Paperview

paperview-01

Essas fotos eu tirei do site deles, que está linkado ali em cima depois do #1! Pra ver o resto do layout e todas as opções de coisas lindas que vêm com a agenda, deem uma fuxicada lá 😉 (esse modelo da menina usando o note e bebendo café é o meu preferido de 2017! De todas as marcas!)

paperview-02A agenda da paperview foi a primeira que eu vi no Brasil nesse estilo de planner. Ela também é a mais completa na minha humilde opinião e tem muitas opções de capa, o que é maravilhoso, difícil não achar uma que te faça se apaixonar. O maior problema da marca pra mim é o preço, ele é super lindo, vem com todos os acessórios que você pode imaginar, mas custa bem mais caro (R$460,00) que os demais. Ah é, além disso, só tem o tamanho único de agenda, não existe versão menor ou mais sequinha (com menos folhas).

#2 Plannershop

plannershop-01

A Planner Shop tem a proposta de trazer os planners em um preço acessível e em mais de um modelo, pra se adaptar as necessidades de todas as usuárias.Além de terem várias capas, eles têm três tamanhos diferentes, além de desk planners e outras coisinhas fofas (como adesivos)!

Além dos três tamanhos, também são os únicos que eu vi dando a opção de você escolher se a sua visão semanal será horizontal ou vertical, qual o período da agenda (de outubro de 2016 a dezembro de 2017 ou de janeiro de 2017 a dezembro de 2017) e se ele terá o miolo colorido ou preto e branco (no modelo menorzinho). Ou seja: SUPER personalizado.

Pra ver o interior da agenda, clica aqui! Vai te direcionar pro site deles na página da agenda coloridona que eu botei aqui na esquerda! É só ir vendo as fotos que dá pra ter uma boa noção de como ela é por dentro.plannershop-02

Eu só tenho uma observação a fazer sobre o planner shop: são menos ofertas de capas do que eu gostaria e o estilo de muitas delas é parecido, então se você não gostar do formato.. difícil gostar de alguma delas pela cor ou pela flor escolhida. Eles têm variedade, não me entenda mal, mas eu gosto de MUITAA variedade.

Escolhi as fotos das minhas capas preferidas pra colocar aqui e mostrar que tem capa pra diferentes tipos de personalidade, desde as mais coloridas as mais clássicas. O preço é bem camarada! R$169,00 por master planner – que é o meu modelo preferido.

#3 Meg e Meg

O planner da Meg e Meg foi meu xodó durante muito tempo. Eu acompanho o instagram da marca que eu conheci através das meninas do @tudoorna e é simplesmente apaixonante. Tudo que elas fazem é lindo! E a idealizadora da marca é uma criatura tão fofa, que nem parece ser de verdade.

megemeg-01

Esse é o planner Rosa Dalmata, que por muito tempo foi dono do meu coração. Namorei ele incansavelmente pela internet. O problema foi quando eu descobri que ele é uma versão mais sequinha de planner. Ele é mais fininho, no tamanho A5. Tem a visão semanal, como da pra ver na foto abaixo, mas não tem tantas firulas como os outros, é o ideal pra levar na bolsa de uma menina compacta. Aí que o bicho pegou – eu não sou compacta. Gosto daquelas agendas monstro, sempre gostei – aí acabei nem comprando essa belezinha. Mas olha.. bombou! Essa capa foi a primeira a acabar, antes de chegar dezembro já estavam todos esgotados e o pessoal da Meg e Meg ta tentando colocar uma nova leva no ar ainda pra 2017 🙂 Aproveita, menina compacta! O preço da agenda é tão lindo quanto a capa: R$139,00 ❤

megemeg-02

E gente, não deixem de entrar no site. Tem cada coisa TÃO fofa de papelaria que vocês não vão acreditar. E muita inspiração!

#4 Vipapier

A Vipapier é uma papelaria de luxo. Os designs são clean e super lindos, a cara da riqueza. Eles têm agendas personalizadas normais e têm esse planner lindo da coleção “girl boss”, como o nome mesmo já diz ele é bem simples (se chama simple planner) e tem poucas opções internas para escrever, ele é mais pra te auxiliar a planejar as coisas mesmo. O tamanho também é um só, pequenino, tipo A5 pra carregar na bolsa. Ele custa R$119,00!

vipapier 01.png

A capa tem nesse tom de rosa e tem black&white. Muito lindos os dois, difícil pra caramba de escolher – mas também tem o mesmo problema que o da Meg e Meg pra mim: muito compacto. É pra gente chique e simples e objetiva.

No site deles também tem várias coisas de papelaria interessantes e inspiradoras! (deskplanners, cadernos, agendas comuns, uma linha travel liiinda de morrer!)

#5 Donna Dolce

donnadolce-01O Planner da Donna Dolce é bem parecido com o modelo da Vipapier, tanto em estilo como no interior – as coisinhas que você tem pra escrever/planejar. Ele é bem lindo, mas bem compacto. O preço é R$159,00!

Achei ele bem lindo, super clean – tanto no interior como nas capas. Mas ele parece bem pequenino. Essa capa da foto é minha preferida, mas tem algumas outras no site! Aliás, no site tem tudo de papelaria, muita variedade mesmo, desde agendas normais, a desk planners, adesivos, canetas, enfim.. de um tudo!

#6 A.Craft

a-craft-01

Esse aqui é O DIFERENTÃO. O design desse planner é completamente diferente de todos os outros que você viu até agora. A A.Craft é um super site pra quem gosta de scrapbooks e papelaria, tem washi tapes, adesivos, colas, canetas, acessórios.. enfim, muita coisa fofa, e eles desenvolveram esse modelo de planner com capa de elástico que é um barato. E melhor: você consegue aproveitar a capa de ano pra ano. Pra quem gosta de ter uma mesma coisa por muito tempo é ótimo, porque aí mudando o ano você só precisa mudar o refil. Super prático.

a-craft-02A compra do planner também é diferente. Você compra cada partezinha separadamente. Tem o bloquinho com a primeira parte do ano, a segunda parte do ano, a pastinha com porta caneta, a capa em si, cada uma dessas coisas tem um preço e você compra quantos você quiser, do jeito que você quiser! E aí é só colocar elas presas dentro da capa com os elásticos (tem um vídeo no próprio site que ensina a montar o planner!). O preço varia por conta disso, mas gira em torno de R$160,00!

Porque eu não comprei esse: eu tenho problemas com agenda que não é de espiral. Acho elas super lindas, mas na prática comigo não funciona muito bem. Maaas.. eu penso seriamente em mais pra frente comprar uma capinha pra mim com uns caderninhos avulsos de pontilhado, quadriculado e pauta pra fazer um caderninho misto, amei essa ideia de você poder customizar o que tem dentro da capa!

#7 My Planner Colibri

Esse aqui é o planner que eu acabei escolhendo! Comprei um pra mim e um pra minha mamãe, que também adora papelaria. Escolhemos esse porque ele era o mais completo com o preço mais em conta. Ele vem com cartões de visita, bloquinho avulso, pastinha, régua, adesivos.. enfim. Veja o vídeo, porque não tem como explicar – só vendo e sentindo mesmo. É curtinho!

Obs: acho que esse tanto de coisa que vem junto é por tempo limitado, porque esse mês (novembro) foi de lançamento do planner, então fiquem de olho porque pode mudar alguma coisa.

Nossas capas escolhidas foram:

Eles custaram R$180,00 cada um e ainda não chegaram! Entra no site pra ver o interior da agenda com mais detalhes, é incrível.

Bom pessoal, espero que minha pesquisa de mercado ajude a escolherem um planner pra organizar a vida de vocês também 😉

Gutten Abend. Tchüss!

Ps.: Todas as fotos são dos respectivos sites e os direitos são reservados, os sites estão linkados em cada um dos títulos. A foto de capa do post é do modelo de 2016 da Ban.do que eu tinha salvo como inspiração no meu pc ❤